Ciro Gomes condena a opção pelo sistema dos juros em detrimento de um projeto nacional de desenvolvimento

 

Vice-presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Ciro Gomes, que já se destacou na vida pública como ministro de estado, prefeito, deputado estadual e governador do Ceará, condenou na terça-feira (20/6) a opção da elite brasileira pelo sistema dos juros em detrimento de um projeto nacional de desenvolvimento.

Ciro Gomes participou, em Cuiabá, da solenidade de abertura do primeiro congresso estadual da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) de Mato Grosso que se encerrará na próxima sexta-feira. Ele lembrou que, enquanto a União dá aos credores da dívida 48,3% do dinheiro público, a indústria brasileira definha, participando hoje com menos de dez por cento do PIB, o Produto Interno Bruto que mede a geração de riquezas no país.

“Oitenta por cento da química fina para a produção de medicamentos são importados. As fibras para confecção de nossas roupas são estrangeiras”, afirmou o palestrante, que defendeu a adoção de políticas para o desenvolvimento de setores industriais – entre eles a defesa, saúde, agronegócio, petróleo e gás – com força suficiente para mudar o atual quadro.

Ciro Gomes condenou a reforma da previdência que o governo quer impor à sociedade por manter inúmeros privilégios corporativos em detrimento dos direitos das mulheres e dos trabalhadores rurais. E destacou a importância do movimento sindical, especialmente da Central dos Sindicatos Brasileiros na promoção do debate da conjuntura social, política e econômica do Brasil.