Centrais Sindicais unidas decidem realizar nova greve geral no próximo dia 30 de junho, sexta-feira

 

Em concorrida reunião realizada na sede paulista da Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), na segunda-feira (6/6), os dirigentes nacionais do movimento sindical decidiram marcar para a sexta-feira (30/6) nova greve geral contra as reformas trabalhista e previdenciária e pelas eleições gerais já. “Não podemos recuar um passo sequer. Essas reformas destroem conquistas históricas dos brasileiros. Vamos continuar mobilizados e a próxima greve geral é a demonstração de que as centrais continuarão na luta em devesa dos trabalhadores”, defendeu, durante a reunião, o presidente do Sindvestuário Guarulhos e secretário-geral da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB)

A nova manifestação de protesto soma-se ao sucesso da greve geral do dia 28 de abril, na qual mais de 35 milhões de trabalhadores paralisaram suas atividades em todo o país, e à Marcha da Classe Trabalhadora, ocorrida no dia 24 de maio, que ocupou a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, com mais de 200 mil sindicalistas, militantes e trabalhadores contra as reformas pretendidas pelo governo. As manifestações de protesto têm registrado participação crescente desde o dia 15 de março passado.

Os dirigentes das centrais sindicais fixaram ainda a terça-feira (20/6) como o dia de mobilização nacional, com vistas à greve geral, com a realização de panfletagens e alerta à sociedade sobre o ataque aos direitos trabalhista, previdenciário e sociais. As centrais voltam a se reunir na quarta-feira (7/6), às 10;00 horas, na sede do DIEESE, em São Paulo, para organizar a manifestação unitária.