TRT determina continuidade da Ação Coletiva abrangendo os 28 demitidos da JWS Confecções

 

Ana Cláudia Buschelli, advogada do Sindvestuário: decisão
mantém todos os demitidos na mesma Ação Coletiva.

O desembargador Paulo José Ribeiro Mota, do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo, concedeu liminar, na segunda-feira (29/5) em favor do Sindvestuário Guarulhos e determinou que todos os 28 trabalhadores demitidos pela JWS Confecções, em janeiro passado, integrem a Ação Coletiva interposta pela entidade na 3ª Vara do Trabalho de Guarulhos. Ribeiro Mota decidiu sobre um Mandado de Segurança Coletivo contra decisão do juiz Renato Luiz de Paula Alves, titular da vara trabalhista, que pretendia desmembrar a Ação Coletiva.

O juiz da vara trabalhista entendeu que a quantidade de reclamantes na mesma Ação Coletiva, poderia comprometer a solução rápida do processo. “Mas, ao contrário – afirma Ana Cláudia Buschelli, advogada do Sindvestuário Guarulhos –, a solução seria rápida em virtude da identidade nas verbas e direitos dos trabalhadores dispensados”.

Os trabalhadores da JWS Confecções foram demitidos no dia 9 de janeiro passado, quando o dono da empresa, Júnio Wilson de Souza, encerrou suas atividades em virtude de dificuldades financeiras. A Ação Coletiva seguirá seu curso envolvendo todos os demitidos que já receberam autorização para sacar o FGTS e obter o benefício do Seguro Desemprego. Para a defesa dos trabalhadores na Justiça, o Sindvestuário Guarulhos, nada cobrou dos demitidos sejam sindicalizados ou não.